Como surgiu

A história dos testes psicológicos está muito ligada ao surgimento da Psicologia Experimental no séc. XIX. A fundação do primeiro laboratório de Psicologia Experimental pelo psicólogo alemão Wundt, em 1879, marcou o início das experiências científicas, visando principalmente investigar as sensações auditivas e visuais, a psicofísica, tempos de reação e outros.

No período seguinte, sofreu a Psicologia Experimental a influência da Biologia, quando tentou Galton aplicar os princípios do evolucionismo de Darwin à seleção, adaptação e ao estudo do ser humano. Galton elaborou alguns testes psicológicos a fim de determinar o grau de semelhança entre parentes em um estudo sobre a hereditariedade e a genialidade.

Em 1900, Stern, no seu livro Psicologia Individual, estudava as diferenças raciais, culturais, sociais, profissionais, sexuais, etc., introduzindo inclusive o conceito de quociente intelectual.

O primeiro a fazer realmente testes de nível mental foi A. Binet. Os testes de Binet foram aperfeiçoados por Terman, que introduziu o método de apuração do quociente intelectual.

Os primeiros testes de inteligência em forma coletiva surgiram por ocasião da Primeira Guerra Mundial, em 1914. Foram eles os testes "Army Alpha" e "Army Beta", elaborado para classificar intelectualmente soldados do exército norte-americano.

Os testes psicológicos surgiram a partir de vários fatores, vejamos alguns dos mais importantes:

  1. Necessidade de identificação dos retardados mentais;

  2. Os problemas apresentados na educação;

  3. As crianças a serem adotadas;

  4. Seleção e classificação de empregados.

Entre os principais responsáveis pelo desenvolvimento e aplicação dos teste psicológicos podemos citar Cattell, Binet e Simon. Com a revolução e o aperfeiçoamento de técnicas, surgiram os mais variados tipos de testes.

Nas últimas décadas o progresso na elaboração dos testes psicológicos tem sido contínuos. O "Anuário da Mensuração Mental" de 1940, acusou a publicação de 1500 testes até aquele ano. O mesmo anuário, publicado em 1949, continha a lista de 700 novos testes. Atualmente apresenta milhares de testes publicados.

HOME