Hortelã Graúda

Home Chat Fórum Biblioteca Receitas Nota

 

 Um nível acima

FOLHAMAIL.GIF (1856 bytes)

Escreva-me

Sobre a autora

formiguinha2.JPG (49678 bytes)

 

Histórico ] Descrição das Espécies ] Tabela/Outras Espécies ] Formas de Manipulação ] Glossário ] Referências Bibliográficas ] Colaboradores ]

HORTELÃ GRAÚDA

Anterior Próxima

Hortelã graúdo.JPG (26869 bytes)

Nome Científico: Plectranthus amboinicus (Lour.) Spr.

Família: Lamiaceae

Nomes Populares: Hortelã da folha grossa, hort. da folha graúda, hort. da Bahia, malva do reino, malva de cheiro, malvaísco e malcariço (CE), malva santa (interior pernambucano).

Características:

Erva perene, tortuosa, piloso-tormentosa e aromática.

Folhas ovado-deltóideas, crenadas, de ápice agudo e bastante quebradiças.

No Nordeste não chega a produzir flores.

Planta aromática nativa da Ásia do Sul Oriental, cultivada em jardins e pátios como medicinal e condimentar.

Encontrada em toda a América tropical desde as Antilhas até o Sul do Brasil.

 

Comentários:

Possui óleo essencial, terpenos flavonóides, mucilagem, taninos (quimicamente ainda não identificado). Tem ação antibacteriana e expectorante. Na literatura consultada não se encontra indicações relativas à toxidade desta planta. Por seu forte odor, espanta ratos( Nos bairros periféricos de Receife e Olinda é plantada em torno das casas para evitar a chegada dos ratos).

Uso popular contra catarro, dor de ouvido, dor de cabeça (aplicar a compressa quando necessário), inflamação no colo do útero, dor, febre e bronquites (sob forma de xarope, no adulto: uma colher de sopa, três vezes ao dia). Apresenta ainda propriedades  terapêuticas como: antibacteriana (algumas substâncias - carvacrol e tenol - presentes no óleo essencial agem como antimicrobianas ) e expectorante ( a mucilagem das folhas da planta parece atuar como protetora de mucosas inflamadas, cobrindo-as com uma camada fina, auxiliando a expectoração).

A planta não apresentou indicações relativas à toxicidade (Carriconde et al., 1995 in Silva, É. B. da 1997). Segundo Carriconde et al. 1995, Em fevereiro de 1997, foi observado na Área de Ecologia da UFRPE a floração dessa espécie num dos vasos defronte à entrada da referida área. Lamentavelmente, não foi procedida a fotografia.

Composição Química:

Óleos essenciais - o carvacrol é encontrado em grande quantidade

Flavonóides

 

BARRARVORES.GIF (17453 bytes)

Este é o número de visitas a esta página até o momento.

BOTÃRVORE.GIF (419 bytes)

Anterior Próxima