FORTALEZA - Histórico
 
 
 
 
 

HISTÓRIA

        O primeiro homem a ocupar as terras cearenses foi o açoriano Pero Coelho de Souza, que em 1603 fundou, às margens do Rio Ceará, o Forte de São Tiago e a povoação de Nova Lisboa. Seu projeto não teve êxito.

        Em 1611, Martins Soares Moreno, um dos membros da incursão de Pedro Coelho, volta ao Ceará e funda o Forte de São Sebastião, no local do antigo. Embora Martins Soares Moreno seja considerado o legítimo conquistador do Ceará, é justo que se alie a fundação da capital cearense ao nome do conquistador holandês Mathias Beck.

        Foi ele que em 1654 fundou na margem esquerda da foz do Rio Pajeú, o Forte Shoonenborch, exatamente onde ainda hoje se encontra, ao lado do Passeio Público.

        Do pequeno povoado que se ergueu e se desenvolveu ao redor do forte surge a cidade de Fortaleza. Com a expulsão dos holandeses pelos portugueses, Shoonenborch passa a se chamar Forte de Nossa Senhora de Assunção e depois Vila de Nossa Senhora de Assunção. Em 1823, por força de carta imperial, a vila torna-se Cidade de Fortaleza de Nova Bragança ou simplesmente Fortaleza, cidade cujo povo tem suas origens na miscigenação de índios e portugueses.

        A cidade de Fortaleza foi palco de importantes fatos históricos onde se destacam vários filhos da terra. Na confederação do equador (1824), rebelião das províncias nordestinas contra política de D. Pedro I, os rebeldes cearenses proclamaram um novo presidente da provínicia do Ceará. Essa república foi desfeita por tropas do poder central e a repressão aos derrotados foi violenta. Na luta, muitos morreram, outros foram fuzilados:  Tristão Gonçalves, Padre Mororó, Pessoa Anta, Azevedo Bolão.

        Outro fato que marcou a história cearense foi a abolição da escravatura, proclamada em Fortaleza, a 25 de março de 1884. Destacou-se nessa luta o jangadeiro Francisco José do Nascimento, o "Dragão do Mar", que denominou o Ceará de "Terra da luz".
 

DEMOGRAFIA

        De acordo com o Anuário Estatístico do Ceará 1994/1995, a população de Fortaleza, recenseada em 1991, soma 1.671.907 pessoas, sendo 772.421 homens e 899.486 mulheres. A densidade demográfica é de 4.975,9 habitantes por Km2 com taxa de crescimento anual de 3,1%.
 

LIMITES

        O município de Fortaleza possui área de 336 Km2. Limita-se ao Norte com o oceano Atlântico, ao sul com os municípios de Pacatuba, Euzébio, Maracanaú e Itaitinga. Ao leste com o munícipio de Aquiraz e o Oceano Atlântico e a Oeste com o município de Caucaia .
A altitude da sede de Fortaleza é de 15,49m em relação ao nível do mar.
 

CLIMA

        Tropical quente e seco, com chuvas no verão e precipitação média anual de 1.378,3 mm. Nos últimos dois anos, o clima apresentou anomalias, com precipitações superiores a 2.250 mm por ano. A umidade relativa do ar em Fortaleza é de 77%.
 

HIDROGRAFIA

        A população de Fortaleza até o início do século usava as águas dos rios, riachos, lagoas e açudes e o fazia com relativa segurança. A partir de 1927, parte da população passou a ser abastecida com o sistema de água tratada utilizando o açude Acarape. Em 1981, Fortaleza passa a ser atendida pelo sistema Pacoti-Riachão atualmente anexado ao açude Gavião. Hoje, o município de Fortaleza possui uma área de 336 km2 dividida em três grandes bacias geográficas. A bacia de vertente marítima, a Bacia do Rio Cocó e a bacia do Rio Maranguapinho.

        A Bacia do Rio Cocó , principal recurso hídrico de Fortaleza, possui uma área aproximada de 215,9 km2. Ela possui ramificações tendo em média 30 afluentes, 16 açudes e 36 lagoas. A Bacia do Rio Maranguapinho nasce na Serra de Maranguape e abrange uma área de 96,5 km quadrados.

        Este rio é o principal afluente do Rio Ceará. A bacia da vertente marítima tem uma área de 23,6 km quadrados e está inserida totalmente na zona urbana de Fortaleza. Os rios mais importantes do município são o Cocó, Ceará, Maranguapinho, Pacoti e Coaçu.
 

INDÚSTRIA E COMÉRCIO

        Fortaleza conta, em seu parque industrial, com centenas de indústrias pequenas, médias e grandes que geram emprego e renda para milhares de pessoas. A indústria têxtil, uma das mais expressivas, participa desde a transformação de algodão até a confecção de artigos de vestuário. O parque têxtil cearense é um dos mais importantes do cenário nacional. A indústria alimentícia conta com a transformação de produtos, como caju na industrialização da castanha e preparo de sucos e doces com a polpa, e o algodão, no preparo de óleo comestível.

        Aqui também se fabrica fumo, borracha, mobiliário, produtos farmacêuticos, calçados e bolsas de couro que são exportados para vários estados do Brasil e alguns países do mundo.

        O comércio de Fortaleza é bastante diversificado. Nele encontra-se desde o mais simples chapéu de palha ao mais sofisticado aparelho importado. Os produtos mais procurados são os de artesanato cearense, como as rendas de bilro, toalhas de labirinto. A atividade comercial de Fortaleza apresenta um crescimento considerável em virtude do número cada vez maior de turistas que a visitam.

        A atividade turística é uma das fontes de divisa que mais incrementam o setor econômico.

        Fortaleza concentra um terço da população do estado do Ceará e é responsável por 72% da oferta de emprego. Sua população economicamente ativa chega a 43,8%, mas quase a metade da população do município vive com apenas um salário mínimo.
 

AGRICULTURA E PECUÁRIA

        Os principais produtos agrícolas cultivados na região metropolitana de Fortaleza que abrange Caucaia, Maranguape, Pacatuba, Maracanaú, Euzébio e Aquiraz - são a manga, cana-de-açúcar, mandioca, côco, banana, arroz, milho, feijão e caju. O que mais se cultiva na grande Fortaleza são as hortaliças, alface, coentro e cebolinha. Estas abastecem todo o município, exportando inclusive para a região Norte do país.

        Na pecuária, o efetivo que merece destaque é o aves, que a cada ano observa um crescimento contínuo. Atualmente o setor exporta para vários estados do Brasil.

        A criação de suínos vem em segundo lugar, seguido da de bovinos. A produção de ovos é significativa e atende ao consumo do município, bem como a produção de leite que hoje conta com três grandes usinas de beneficiamento do produto e de seus derivados.
 

PASSEIOS E ATRAÇÕES TURÍSTICAS
 
- Avenida Monsenhor Tabosa: Variado comércio de artigos regionais que reúne lojas de confecções, calçados, bolsas e muitos outros produtos. Nas proximidades há ainda serviços de hotéis, agências de viagens.

- Casa de José de Alencar: Na casa onde nasceu o romancista estão mantidas as ruínas de um antigo engenho, considerado o primeiro no Ceará a receber energia a vapor além do acasalamento de duas espécies botânicas: uma Gameleira e um Cajueiro , que se entrelaçaram e constituíram uma só árvore.
Av. Perimetral, sn. 8h às 12h e 14h às 17h30 de 3a. feira a domingo.

- Catedral Metropolitana de Fortaleza: Inaugurada em 1978, depois de 40 anos desde o início de sua construção, a Catedral da Praça da Sé é um templo em estilo gótico que, apesar de sua grandiosidade, impressiona pela simplicidade de suas linhas arquitetônicas.
Rua São José, s/n - Centro. De 3a. a 6a. feira de 8h às 10h, sábados, visitas e orações, domingo de
9h às 12h30 e 17h às 22h30.

- Estátua de Iracema: Um monumento à protagonista de "Iracema, a virgem dos lábios
de  mel", do  romancista  cearense  José  de  Alencar.  A  estátua  foi  construída  na  Praia do Mucuripe , local onde a virgem esperava, no cais do porto, que seu amor regressasse.
Av. Beira Mar.

- Estoril: Casarão da antiga Vila Morena, na Praia de Iracema , o Bar Estoril data de 1925. Nos anos 40, foi transformado em cassino pelos militares norte-americanos. Reduto de intelectuais e boêmios, foi restaurado em 1995 e hoje abriga um Centro Cultural e restaurante-escola sendo um dos locais mais badalados da noite cearense.

- Farol do Mucuripe: Construído pelos escravos em meados do século passado, o velho farol servia como orientação às embarcações. Em 1959 foi desativado e transformado em um mini-museu de peças artesanais e de instrumentos de trabalho dos jangadeiros.

- Paço Municipal: Sua construção data do século XIX, com vasta área verde formando o Bosque Dom Delgado. Inicialmente construído para ser a sede do Arcebispado de Fortaleza, já abrigou também a sede da Prefeitura Municipal.
Rua São José, s/n - Centro.

- Palácio da Abolição: O conjunto arquitetônico do Palácio foi construído inicialmente para ser a sede do Governo Estadual. Localizado na Avenida Barão de Studart na Aldeota, o prédio hoje sedia a Secretaria de Cultura e Desporto do Ceará.
Av. Barão de Studart, 505 - Aldeota. 8h às 18h.

- Passeio Público: Localizado no Centro da Cidade ao lado do Forte Na. Sa. da Assunção, o Passeio foi tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional destacando-se por seus jardins de árvores centenárias e cópias de monumentos dos antigos deuses gregos.
Rua João Moreira, s/n - Centro. De 2a. feira a domingo de 8h às 11h e de 14h às 17h.

- Ponte dos Ingleses: Tradicionalmente conhecida como Ponte Metálica, a Ponte dos Ingleses foi construída em 1923, servindo de porto para Fortaleza. A partir dos anos 40, tornou-se ponto de encontro da boemia e hoje, é palco para enamorados do pôr do sol.

- Praça do Ferreira: O ponto culminante do comércio local. Reformada, o projeto conseguiu resgatar algumas das referências simbólicas de sua arquitetura original e a imagem do "Coração da Cidade".

 

 
 

Clique nos links abaixo para ver mais fotos 

[Casa de José de Alencar]     [Casa de José de Alencar]     [Catedral]     [Catedral]     [Reitoria da UFC]
 
[Cidade da Criança]     [Cidade da Criança]     [Mausoléu Castelo Branco]     [Estoril]     [Farol do Mucuripe]
 
[Farol do Mucuripe]     [Secretaria da Fazenda]     [Secretaria da Fazenda]     [Teatro José de Alencar]
 
[Teatro José de Alencar]     [Teatro José de Alencar]     [Teatro José de Alencar]     [Teatro José de Alencar]
 
[Teatro José de Alencar]     [Teatro José de Alencar]     [Teatro José de Alencar]
 
 
 
 
Voltar à página Fortal
 
 
indexbuscacartõescearáconsciência
irclinkspiadasicq