Uma breve história do começo de nosso legado... Uma breve história do começo de nosso legado...

Certa noite, logo depois de Caim ter-se tornado o regente da Primeira Cidade, ele sentou-se sozinho em seu palácio. Embora as pessoas da cidade adorassem o Primeiro Imortal, cinzelassem esculturas e compusessem canções em sua honra, a solidão tinha se apoderado dele. Caim era o único de sua espécie.Ele deixou a cidade e foi para o deserto, onde encontrou uma tribo de nômades.
Entre os nômades estava um jovem tão belo que pasmou Caim. O pai de todos os vampiros levou o jovem de volta a Enoque, a primeira cidade, e observou a criança crescer. Quando o jovem tornou-se adulto, Caim fez de seu amado o Primeiro filho.Mais tarde, outros dois também foram Abraçados, mas eles não são importantes para a nossa história.
O Primeiro Filho, permanece anônimo (ainda que não esquecido), tornou-se o príncipe da Primeira Cidade. O novo príncipe serviu fielmente a Caim, fazendo-lhe oferendas de incensos e ouro, embora essas coisas não tivessem valor para Aquele Que Foi Amaldiçoado. Caim anelava apenas por perdão, mas ele sabia que a cidade que criara para o bem tornara-se decadente sob o reinado do seu Primeiro Filho.
Veio ao ouvidos de Caim que os seus dois outros filhos tinham, eles mesmos, criado filhos para si próprios. Caim ficou furioso, pois sabia que o amor que eles nutriam por seus filhos seria uma blasfêmia ao pai de seu pai. Depois do Dilúvio, quando a Primeira Cidade foi destruída, Caim vagou mais uma vez pelos desertos, uma angústia terrível ardendo em seu coração, pois concluíra que jamais deveria ter tido filhos.
O Primeiro Filho, que não tinha criado uma progênie, veio diante de seu pai e implorou-lhe que voltasse. Mas seus apelos encontraram ouvidos surdos e Caim desapareceu na noite. O Primeiro Filho retornou e juntou-se a seu irmão e irmã, e à progênie destes, na criação da Segunda Cidade.
A perda do pai e a destruição da Primeira Cidade empederniam o Primiro Filho. Os sobreviventes trabalharam para construir a Segunda Cidade, mas o Primeiro Filho sentou-se no centro, sozinho num mar de servos, adoradores, soldados e mercadores. Apenas quando o Primeiro Filho sentiu o mesmo que seu pai havia sentido, fou que ele finalmente criou sua própra progênie para suavizar a solidão. Esses irmãos gêmeos - rapaz e moça - foram chamados Malkav e Arikel.
Arikel era uma escultora - uma profissão estranha para uma mulher naqueles tempos, embora sua obra silenciasse aqueles que falavam contra ela. Ela foi Abraçada porque suas criações extraordinárias falaram ao coração do Primeiro Filho. O Primeiro Filho foi gentil com ela, oferecendo-lhe tudo que precisava para continuar seu trabalho atravéz da eternidade. Contudo, o Primeiro Filho proibiu-a de gerar sua progênie.
A jovem imortal praticou sua arte durante décadas, mas acabou ficando cansada. Embora adorasse a companhia dos mortais e se tivesse cercado deles, ela sentia falta de alguma coisa. Finalmente abraçou alguém que ela quis que não envelhecesse. A paixão fora mais forte e Arikel sabia que seria punida.
Procurando alguma forma de evitar essa sina, ela convenceu Brujah, outro indivíduo da Terceira Geração, a matar seu senhor, por quem ela nutria um ódio terrível. A guerra entre as gerações estourou. Arikel reuniu um grupo de indivíduos, da mesma geração que ela, para destruir seus pais.
Contudo, as lendas afirmam que o Primeiro Nascido sobreviveu.Escapando para o deserto, o Primeiro Nascido seguiu o pôr-do-sol como seu pai havia feito antes de sumir para sempre...



Volta para a página anterior!