Celso do Lago Paiva



    Engenheiro agrônomo

    Graduado pela Universidade de São Paulo - ESALQ/USP, Brasil.

    Analista Ambiental (Carreira de Especialista em Meio Ambiente) no
    IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis);
    lotado no Parque Nacional da Serra do Cipó, Minas Gerais.

    Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Departamento de Zoologia, Instituto de Biologia, UNICAMP, Campinas, Estado de São Paulo, Brazil.



      Áreas de concentração profissional


           Conservação biológica

        Avaliação, recuperação, gerenciamento e proteção de áreas naturais

        Levantamento de vegetação e flora
              Em andamento: “Levantamento florístico de florestas ripárias na bacia do rio Jundiaí no município de Indaiatuba


        Produção de mudas de espécies nativas

        Reflorestamento com espécies nativas (recomposição de vegetação natural)
              Projeto em andamento: “Recomposição de florestas ciliares na bacia do rio Jundiaí no município de Indaiatuba, São Paulo

        Recomposição da vegetação nativa ao longo de cursos-d’água, nascentes, lagoas, represas e mananciais (matas ciliares)

        Incremento da produção de água e redução do assoreamento de rios, lagoas e represas através do manejo da vegetação nativa e do controle da erosão (gerenciamento de mananciais)

        Recuperação da vegetação nativa em áreas mineradas


        Estudo de impactos e riscos ambientes

        Implantação de corredores (interconexão) entre fragmentos remanescentes de vegetação natural

        Identificação de árvores, arbustos e plantas herbáceas, nativas e exóticas




           Pesquisas em Conservação biológica

        Conservação biológica in situ

        Manejo da biota (flora e fauna)

        Ecologia de invasões biológicas em sistemas naturais

        Ecologia e evolução de palmeiras (Arecaceae)




      Projeto em andamento


            Recomposição de florestas ciliares na bacia do rio Jundiaí no município de Indaiatuba, São Paulo
              Fundação Pró-Memória de Indaiatuba, 2003/ 2004
              Parceria com Departamento de Meio Ambiente da CPFL Geração de Energia S/A
              Direção técnica: eng.o agrônomo Celso do Lago Paiva

            Sub-projetos:

                 1. “Levantamento florístico de florestas ripárias na bacia do rio Jundiaí no município de Indaiatuba

                 2. “Produção de mudas de árvores nativas para recomposição de florestas ciliares na bacia do rio Jundiaí no município de Indaiatuba

        Resumo do Projeto




      Artigos publicados sobre Ecologia

            1. PAIVA, Celso Lago, 1994. Notas sobre a ocorrência e distribuição de Eudocimus ruber (L., 1758) (Aves, Threskiornithidae) no Estado de São Paulo. Acta Biologica Leopoldensia 16(2):119-124.
            Disponível na rede mundial:
            http://www.reocities.com/lagopaiva/guara.htm

            2. PAIVA, Celso Lago; WILLIS, Edwin O., 1994. New occurrences of Melanerpes cactorum (D’Orbigny, 1840) (Aves, Picidae) in Brazilian territory. Biotemas 7(1/2):110-115.
            Disponível na rede mundial:
            http://www.reocities.com/lagopaiva/CACTORUM.HTM

            3. PAIVA, Celso Lago, 1996. Cavity nesting by Pitangus sulphuratus ([Aves,] Tyrannidae): adaptation or expression of ancestral behavior? Auk 113(4):953-955.
            Disponível na rede mundial (versão mais completa):
            http://www.reocities.com/lagopaiva/pitangus.htm

            4. PAIVA, Celso Lago, 1998. Cupins e o patrimônio histórico edificado. Páginas 133-162 in: FONTES, Luiz Roberto e BERTI FILHO, Evôneo, editores. Cupins – o desafio do conhecimento. Piracicaba, FEALQ, 512 pp., il.
            Parcialmente disponível na rede mundial:
            http://www.reocities.com/lagopaiva/cuppatri.htm

            5. PAIVA, Celso Lago, 1999. Introdução de Achatina fulica (Mollusca, Achatinidae) no Brasil: responsabilidade profissional e informação técnica. P. 29 in: BOVI, Marilene L. A.; BETTI, Juarez A.; VEIGA, Renato F. A., 1999. I Encontro sobre Educação Ambiental na Agricultura, 9 e 10 de setembro de 1999. Campinas, Instituto Agronômico, 56 p.
            Resumo disponível na rede mundial:
            http://www.reocities.com/lagopaiva/ach-amb.htm



      Páginas na rede mundial sobre Ecologia

        1. Palmeiras brasileiras: pequena bibliografia (Arecaceae)
            http://www.reocities.com/lagopaiva/palmbibl.htm

        2. Cactáceas brasileiras: bibliografia
            http://www.reocities.com/lagopaiva/cactbibl.htm

        3. Bromeliáceas brasileiras: bibliografia – século XXI
            http://www.intermega.com.br/acracia/bib_brom.htm

        4. Achatina fulica (Mollusca, Achatinidae): ameaça às florestas, à agricultura e à saúde pública no Brasil
            http://www.reocities.com/lagopaiva/achat_tr.htm

        5. Evolução e genética: fontes bibliográficas
            http://www.reocities.com/lagopaiva/evolucao.htm



        Celso do Lago Paiva

        IBAMA
        Parque Nacional da Serra do Cipó, Minas Gerais
        Jaboticatubas, Minas Gerais, Brasil

        Celso.Lago@ibama.gov.br


        (0xx31) 3718-7228



          Celso do Lago Paiva: concentração em Ecologia. Disponível na rede mundial: http://www.reocities.com/lagopaiva/ind_ecol.htm. 11 dez. 2002. Atualizada 23 abr. 2004.



      Resumo do Projeto

              “Recomposição de florestas ciliares na bacia do rio Jundiaí no município de Indaiatuba, São Paulo


      “A Lei estadual paulista 9989, de 22 de maio de 1998, tornou obrigatória a recomposição florestal pelos proprietários nas áreas situadas ao longo dos cursos-d’água, obedecida a largura mínima em faixa marginal, de 30 metros para os cursos-d“’água com menos de 30 metros de largura e de 50 metros para os cursos-d’água com menos 10 a 30 metros de largura; tais valores já constavam das leis federais 4771 (de 1965) e 7803 (de 1989), depois ratificados pela Resolução CONAMA 303 (de 2002). Essas são as faixas de reflorestamento obrigatório para o rio Jundiaí e seus tributários.
          A Resolução CONAMA 21 (de 2001) estabelece que em reflorestamento heterogêneo de áreas ciliares sejam empregadas no mínimo 30 espécies distintas de plantas nativas em projetos de até um hectare, e 50 espécies em projetos de até 20 hectares.
          A Fundação Pró-Memória de Indaiatuba, responsável pela defesa do patrimônio cultural e natural do município de Indaiatuba (Lei municipal 3081, de 20 de dezembro de 1993), mantém o Projeto “Recomposição de florestas ciliares na bacia do rio Jundiaí no município de Indaiatuba, São Paulo”, que coordena esforços para recuperar parte das florestas ciliares outrora existentes na bacia do rio Jundiaí, tributário do rio Tietê.
          O rio Jundiaí tem suas principais nascentes nos municípios paulistas de Atibaia, Bom Jesus dos Perdões e Mairiporã; as nascentes mais distantes localizam-se na Serra da Pedra Vermelha, no município de Mairiporã, a cerca de 1200 m de altitude. Percorre na Depressão Periférica do planalto paulista os municípios de Atibaia, Jarinu, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Jundiaí, Itupeva, Indaiatuba e Salto; no perímetro urbano de Salto deságua na margem direita do rio Tietê, a cerca de 530 m de altitude. Percorre cerca de 123 km.
          A bacia de drenagem do rio Jundiaí era revestida originalmente por feições diversas de florestas mesófilas semicaducifólias (florestas em que muitas espécies perdem as folhas na estação seca) e, em alguns trechos, por cerrado (savanas); em suas nascentes mais altas existem trechos de florestas de altitude. Inclui parte das vertentes do complexo das serras do Japi e Guaxinduva. Pouco restou da vegetação original.
          A responsabilidade técnica da direção do Projeto ”Recomposição de florestas ciliares na bacia do rio Jundiaí no município de Indaiatuba” é do engenheiro agrônomo Celso do Lago Paiva, autor de pesquisas publicadas e inéditas na área de Ecologia, pós-graduando em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e consultor da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba.”

      Fonte:
          PAIVA, Celso do Lago, 2003. Projeto “Recomposição de florestas ciliares na bacia do rio Jundiaí no município de Indaiatuba, São Paulo. Parceria Fundação Pró-Memória de Indaiatuba/ CPFL Geração de Energia S/A”. Indaiatuba, Fundação Pró-Memória de Indaiatuba, 18 p., il.


Unitermos auxiliares: mata ciliar, matas ciliares, floresta ciliar, florestas ciliares, recomposição florestal, proteção florestal, cerrados, brejos, mananciais hídricos, proteção de nascentes, protecao de nascentes, proteção de mananciais, protecao de mananciais, conservacao biologica, conservação biológica