O Fim da Geração 1914


 

A Sociedade Torre de Vigia (Watchtower Society nos E.U.A.) ensinou durante anos à fio aos seus seguidores que a "última geração", mencionada por Jesus em Mateus 24:33,34, era a geração a que pertenciam aquelas pessoas que viram e puderam entender os acontecimentos relacionados ao ano de 1914, o início da Primeira Guerra Mundial e suas conseqüências para o mundo moderno. Não apenas algumas vezes, mas inúmeras e incontáveis vezes, nas revistas, nos livros e outras publicações; em esboços de discursos públicos, em assembléias e congressos. Tantas vezes a tal "geração de 1914" foi citada que, se todas as citações fossem ajuntadas em uma única publicação, um volume impresso de enormes proporções seria o resultado.

Para que se tenha uma idéia da insistência com que este ensino foi inculcado, introduzido, introjetado na mente da Testemunhas de Jeová, eu separei algumas citações e as alisto à seguir:

 

A Sentinela 1/05/92 pág. 7 - A Geração de 1914 - Por Que É Significativa?

Antes de a geração de 1914 deixar de existir, a obra de pregação do Reino terá alcançado seu objetivo. "Então", predisse Jesus, "haverá grande tribulação, tal como nunca ocorreu desde o princípio do mundo até agora, não, nem tampouco ocorrerá de novo. De fato, se não se abreviassem aqueles dias, nenhuma carne seria salva; mas, por causa dos escolhidos, aqueles dias serão abreviados". — Mateus 24:21, 22.

 

A Sentinela 1/05/92 pág. 3 - 1914 - O Ano Que Abalou o Mundo

Durante décadas, A Sentinela tem explicado que a humanidade sofreu em 1914 o que é chamado de "princípio das dores de aflição". Esta expressão faz parte da grande profecia de Jesus Cristo sobre os eventos que precederiam ao fim do sistema iníquo do homem. — Mateus 24:7, 8.

Atualmente, uma pequena porcentagem da humanidade ainda pode lembrar-se dos eventos dramáticos de 1914. Será que esta geração mais velha passará antes de Deus salvar a Terra da ruína? Não segundo a profecia bíblica. "Quando virdes todas estas coisas", prometeu Jesus, "sabei que ele está próximo às portas. Deveras, eu vos digo que esta geração de modo algum passará até que todas estas coisas ocorram". — Mateus 24:33, 34.

 

Despertai! 8/11/94 pág. 10 - O Verdadeiro Significado de 1914

Como diz na página 4: "Esta revista gera confiança na promessa do Criador de estabelecer um novo mundo pacífico e seguro, antes que passe a geração que viu os acontecimentos de 1914."

 

Despertai! 22/03/93 pág. 11 - Por Que Essa Expectativa Ansiosa do Novo Mundo?

Jesus indicou também que esse sinal múltiplo seria concluído durante a vida da geração que viu seu começo em 1914. Em Mateus 24:32-34, ele disse: "Aprendei, pois, da figueira o seguinte ponto, como ilustração: Assim que os seus ramos novos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que o verão está próximo. Do mesmo modo, também, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo às portas. Deveras, eu vos digo que esta geração de modo algum passará até que todas estas coisas ocorram."

 

Ministério do Reino 10/93 pág. 8 - Ofereçamos a Todos a Assinatura das Revistas em Outubro

O objetivo de Despertai! é claramente expresso na página 4 de cada edição: "Esta revista gera confiança na promessa do Criador de estabelecer um novo mundo pacífico e seguro, antes que passe a geração que viu os acontecimentos de 1914." Essa revista certamente merece a mais ampla distribuição possível em nosso ministério de casa em casa!

 

A Sentinela 15/04/91 pág. 7 - Quando Virá Realmente a Paz Duradoura?

Sim, as nações têm falado muito sobre paz e segurança. Mas está a situação mundial realmente indo nessa direção? Lembre-se do que Jesus disse sobre os que viveriam durante os últimos dias, a partir de 1914: "Deveras, eu vos digo que esta geração de modo algum passará até que todas estas coisas ocorram." (Mateus 24:34) Sim, a paz realmente virá nesta geração, mas não por meio dos esforços das nações. A paz firmemente estabelecida, imparcial e justa, prometida por Jeová Deus, só pode vir por meio do já próximo domínio do Príncipe da Paz, Jesus Cristo. — Isaías 9:7

 

A Sentinela 01/06/90 pág. 7 - Aproxima-se um Grandioso Milênio

Os acontecimentos mundiais desde 1914 indicam que estamos vivendo na "terminação do sistema de coisas". Jesus disse também que a geração associada a esses acontecimentos preditos ‘de modo algum passaria até que todas estas coisas ocorressem’. Significa isso, pois, que o Governo Milenar de Cristo coincidirá com o terceiro milênio? — Mateus 24:3-21, 34.

 

A Sentinela 15/10/90 pág. 20 - Sinta-se Grato - O Reino Messiânico de Jeová Domina

Assim como Jeová executou seu julgamento sobre Jerusalém, ele fará contra a antitípica Jerusalém infiel, a saber, a cristandade. E, assim como a geração que ouviu a mensagem de julgamento de Cristo alcançou com vida a destruição que ele predissera, a atual geração desde 1914 "de modo algum passará" sem que venha a predita "grande tribulação". — Mateus 24:21, 22, 34.

 

Despertai! 08/04/88 pág. 14 - Os Últimos Dias - O Que Virá  em Seguida?

Do mesmo modo hoje, a maior parte da geração de 1914 já desapareceu. Todavia, há ainda milhões de pessoas na terra que nasceram naquele ano ou antes disso. E, embora o número delas esteja diminuindo, as palavras de Jesus se cumprirão, "esta geração não passará sem que tudo isto aconteça". Esse é mais um motivo para se crer que o dia de Jeová, que virá como um ladrão, está iminente.

 

Pois bem, a Sociedade Torre de Vigia, por fim, resolveu alterar o dogma em que a "última geração" era a "geração 1914" e como de costume publicou-o como uma "nova luz", por meio de um artigo de estudo da revista A Sentinela de 01/11/1995, tornando nulo tudo o que havia dito antes e durante tanto tempo:

 

A Sentinela 01/11/95 pág. 17-19 - É Hora de Manter-se Desperto

O povo de Jeová, ansioso de ver o fim deste sistema iníquo, às vezes tem especulado sobre quando irromperia a "grande tribulação", até mesmo relacionando isso com cálculos sobre a duração da vida duma geração desde 1914. No entanto, ‘introduzimos um coração de sabedoria’, não por especular sobre quantos anos ou dias constituem uma geração, mas por refletir em como ‘contamos os nossos dias’ em dar alegre louvor a Jeová. (Salmo 90:12) Em vez de estabelecer uma regra para a medição do tempo, o termo "geração", conforme usado por Jesus, refere-se principalmente a pessoas contemporâneas dum certo período histórico, com as características identificadoras delas.

7 Em harmonia com isso, o professor de História Robert Wohl escreveu no seu livro The Generation of 1914 (A Geração de 1914): "A geração histórica não é definida pelos seus limites cronológicos . . . Não é delimitada por datas." Mas, ele salientou que a Primeira Guerra Mundial criou "um indiscutível senso de ruptura com o passado", e acrescentou: "Os que sobreviveram à guerra jamais poderiam desfazer-se da idéia de que um mundo acabara e outro começara em agosto de 1914." Como isso é veraz! Enfoca o ponto em questão. "Esta geração" da humanidade, desde 1914, tem passado por espantosas mudanças. Tem presenciado a terra ser encharcada do sangue de milhões de pessoas. Guerra, genocídio, terrorismo, crime e violação da lei têm irrompido em todo o mundo. Fome, doença e imoralidade assolam nosso globo. Jesus profetizou: "Também vós [discípulos], quando virdes estas coisas ocorrer, sabei que está próximo o reino de Deus. Deveras, eu vos digo: Esta geração de modo algum passará até que todas estas coisas ocorram." — Lucas 21:31, 32.

8 Deveras, o triunfo completo do Reino messiânico é iminente! Será que adianta alguma coisa procurar datas ou especular sobre a duração literal da vida duma "geração"? Longe disso! Habacuque 2:3 declara explicitamente: "A visão ainda é para o tempo designado e prossegue arfando até o fim, e não mentirá. Ainda que se demore, continua na expectativa dela; pois cumprir-se-á sem falta. Não tardará." O dia de Jeová para ajustar contas aproxima-se cada vez mais. — Jeremias 25:31-33; Malaquias 4:1.

 

Por favor, não pense que o corpo governante errou, nem mesmo que houve algum engano, o que poderia ser considerado normal visto sermos todos imperfeitos e errantes, como enfatiza a própria Bíblia Sagrada. Que diz também que os desígnios de Deus estão muito acima da compreensão dos seres humanos pecadores, mas não, definitivamente NÃO!

O "ESCRAVO FIEL E DISCRETO" NÃO ERRA NUNCA!

E em razão disso, o artigo coloca cuidadosamente a culpa do equívoco nas costas largas do "povo de Jeová", que, "ansioso" por saber quando seria o final deste sistema de coisas, ficou deduzindo por conta própria sobre datas e inventou a tal história da "geração 1914", com as devidas possíveis datas para o Armagedom. Sorte, mas muita sorte mesmo, que os queridos irmãos do corpo governante "introduziram um coração de sabedoria" e acabaram com as especulações sobre datas sem qualquer fundamento. Esses irmãos do "povo de Jeová"! Tão imaturos, tão ansiosos e tão afobados!

Claro que alguém dentre o "povo de Jeová" deve ter tentado se eximir de culpa, que petulância! Se alguém se considera servo de Jeová deve ter humildade mental. Então, para que não pairasse a menor dúvida sobre quem foi o culpado pelo fiasco da profecia da "geração 1914", a Sociedade providenciou uma oportuna "pergunta dos leitores", onde a culpabilidade ficou bem evidente:

 

A Sentinela 01/06/97 pág. 28 - Perguntas dos Leitores

Humanos imperfeitos têm a tendência de querer ser específicos referente à data em que virá o fim. Lembre-se de que até mesmo os apóstolos queriam saber mais informação específica ao perguntar: "Senhor, é neste tempo que restabeleces o reino a Israel?" — Atos 1:6.

Com intenções sinceras similares, servos de Deus nos tempos modernos, têm tentado inferir à base do que Jesus disse sobre "geração", um tempo específico a ser contado a partir de 1914. Por exemplo, um argumento tem sido que uma geração pode ter 70 ou 80 anos e ser composta de pessoas que tinham idade suficiente para compreender o significado da Primeira Guerra Mundial e de outros acontecimentos; podemos assim calcular mais ou menos a proximidade do fim.

Apesar da boa intenção deste raciocínio, harmonizava-se com o conselho que Jesus passou a dar? Jesus disse: "Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente o Pai. . . . Portanto, mantende-vos vigilantes, porque não sabeis em que dia virá o vosso Senhor." — Mateus 24:36-42.

 

Quanta ingenuidade! Esse "povo de Jeová", aqui chamado de "servos de Deus", não tem jeito mesmo, tão absortos fazendo contas para descobrir a proximidade do fim baseando-se na tal geração, acabaram por não levar em consideração as palavras do próprio Jesus, dizendo que ninguém, exceto o Pai, poderia sequer imaginar quando viria o fim.

Concluindo, todos os fatos relacionados com a "'ultima geração" foram produzidos, única e exclusivamente, pelos irmãos ansiosos, que apesar das intenções sinceras atropelaram os escritos sagrados. Nenhuma responsabilidade pode ser atribuída aos líderes da Sociedade Torre de Vigia.

DEFINITIVAMENTE ELES NÃO ERRAM!


 

Voltar