Idolatria ao Corpo Governante

 

A foto abaixo é de uma publicação da própria Sociedade Torre de Vigia e mostra membros do corpo governante, grupo de ungidos que lideram a organização desde a sede em Brooklyn, Nova Iorque, autografando exemplares da Tradução do Novo Mundo, Bíblias impressas pela Torre de Vigia.

Sentinela de 15/05/1999, pág 8.  Foto extraída da revista A Sentinela de 15/05/1999, pág 8. (Frase acrescentada) Qual problema está envolvido? Aparentemente nenhum, afinal personalidades públicas costumam ser assediadas por pessoas comuns em busca de autógrafos e escritores consagrados normalmente lançam suas obras em eventos onde, por hábito, assinam dedicatórias em seus livros.                                      À primeira vista portanto, nada haveria de errado na atitude dos membros do corpo governante em autografarem Bíblias.

Nada de extraordinário, a não ser o fato da Sociedade Torre de Vigia condenar explicitamente em seus ensinos, qualquer tipo de atitude que possa indicar um desejo de enaltecimento pessoal, é assim no caso de aniversários natalícios, no caso de carreiras artísticas e assim por diante.

Cultuar ídolos da música ou de qualquer outra atividade é errado, até mesmo um simples autógrafo deve ser encarado como um passo inicial no sentido de se tornar um idólatra:

A Sentinela

15/01/1993

pág. 29

15 O povo de Deus evita também idolatrar os astros e as estrelas do entretenimento... Isto pode começar bem inocentemente, por a pessoa lhe pedir um autógrafo de lembrança. Mas alguns passam a encarar o artista como o seu ideal, e, por colocá-lo num pedestal, transformam-no num ídolo. Talvez pendurem a foto do astro na parede, e comecem a se vestir e arrumar os cabelos como ele. Os cristãos precisam ter presente que só se deve adorar a Deus.”

16 Sim, somente Deus merece adoração ou veneração. Quando João ‘se prostrou para adorar diante dos pés do anjo’ que lhe havia mostrado coisas espantosas, esta criatura espiritual negou-se a ser idolatrada em qualquer forma, mas disse: “Toma cuidado! Não faças isso! Sou apenas co-escravo teu e dos teus irmãos, que são profetas, e dos que observam as palavras deste rolo. Adora a Deus.” (Revelação 22:8, 9) O temor de Jeová, ou a profunda reverência a ele, faz com que adoremos somente a ele. (Revelação 14:7) Assim, a verdadeira devoção piedosa resguarda-nos da idolatria. — 1 Timóteo 4:8.

 

As Testemunhas de Jeová são incentivadas a não procurar nenhum tipo de destaque pessoal, para não tornarem-se idólatras de si mesmas, mas sim trabalhar para que toda a glória seja sempre para Deus:

A Sentinela

15/01/1993

pág. 30

21 Em vez de o povo de Deus procurar fama, precisa acatar a admoestação de Paulo: “Quer comais, quer bebais, quer façais qualquer outra coisa, fazei todas as coisas para a glória de Deus.” (1 Coríntios 10:31) Por sermos servos de Jeová, não insistimos de forma idólatra na nossa própria vontade, mas fazemos alegremente a vontade de Deus, aceitando a orientação do “escravo fiel e discreto” e cooperando plenamente com a organização de Jeová. — Mateus 24:45-47.

 

Até mesmo a observância do aniversário natalício pode trazer uma importância inadequada para o aniversariante:

A Sentinela

15/07/1994

pág. 25

Atualmente, os cristãos sinceros apercebem-se de que tais relatos bíblicos sobre aniversários natalícios estão entre as coisas escritas para sua instrução. (Romanos 15:4) Eles não celebram aniversários porque tais observâncias dão importância indevida a uma pessoa. Mais importante ainda, os servos de Jeová sabiamente levam em conta que a Bíblia apresenta de forma desfavorável os aniversários natalícios

 

Um exemplo magnífico vem do apóstolo Paulo, que apesar de ter tido uma importância fundamental na divulgação do cristianismo em todo o mundo, nunca reivindicou para si próprio qualquer tipo de mérito, deixando muito claro que ele era apenas um ser humano sob as orientações de Deus, apenas um instrumento usado para divulgar as boas novas. Neste ponto os líderes da Sociedade Torre de Vigia esforçam-se para igualar o apóstolo Paulo na sua humildade, dizendo que os escritores das suas publicações não recebem crédito pela sua contribuição:

A Sentinela

01/02/1991

pág. 12-13

14 Também honramos a Jeová Deus manifestando uma atitude humilde, creditando a Ele qualquer sucesso que porventura tenhamos. O apóstolo Paulo disse apropriadamente sobre seu ministério: “Eu plantei, Apolo regou, mas Deus o fazia crescer; de modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus que o faz crescer.” (1 Coríntios 3:6, 7) Realmente, a preocupação de Paulo era dar a devida honra a Deus, não a si mesmo ou a qualquer outro humano. Concordemente, as publicações da Sociedade Torre de Vigia hoje não identificam os que as escrevem, e os escritores evitam divulgar a outros a contribuição que deram. Deste modo, a atenção se focaliza na informação, destinada a honrar a Jeová, não em algum humano.

 

Todavia isto não reflete a verdade, pois a foto no alto da página demonstra a existência de uma idolatria por parte das testemunhas de Jeová em relação aos membros do corpo governante, não me baseio apenas no ato de "procurar fama" dos homens flagrados em gritante violação das orientações bíblicas, mas no costume altamente disseminado entre as testemunhas de se referir sempre a estes homens como homens inculpes, impermeáveis a erros e de condição espiritual superior. A foto é despretensiosa e aparentemente inofensiva, tanto assim que nos foi brindada pela própria Sociedade numa de suas publicações, porém carrega o valor simbólico da idolatria disfarçada de "obediência à Jeová" por se obedecer servilmente àqueles que estão "na dianteira".

Numa de suas revistas a Sociedade Torre de Vigia indica isso, ou seja, a possibilidade de servir, adorar, idolatrar não apenas estátuas ou imagens, mas também a homens e organizações e é exatamente o que acontece com as Testemunhas de Jeová em relação ao corpo governante:

A Sentinela

15/01/1993

pág. 20

3 Em geral, a idolatria envolve uma cerimônia ou um rito. Idolatria é a veneração, o amor, o culto ou a adoração prestados a um ídolo. E o que é um ídolo? É uma imagem, uma representação de algo ou um símbolo que é objeto de devoção. Usualmente, a idolatria enfoca um poder superior, real ou suposto, que se crê ter uma existência animada (um humano, um animal ou uma organização). Mas pode-se também praticar idolatria com respeito a coisas inanimadas (uma força ou um objeto sem vida da natureza).

* Todos os negritos e itálicos foram acrescentados.



Voltar