COLETA DE DADOS

 

COLETA DOCUMENTAL

 

TECNICAS DE PESQUISA

 

1.      Documentação Indireta

 

Para Lakatos e Marconi (1991) a coleta de dados baseada em documentação indireta é a fase da pesquisa realizada com o intuito de recolher informações prévias sobre o campo de interesse.

 

O levantamento de dados, primeiro passo para qualquer pesquisa científica, é feito de duas maneiras: por meio de pesquisa documental (ou fontes primárias) e pesquisa bibliográfica (ou fontes secundárias.

 

Lakatos e Marconi (1991) apresentam a seguinte estrutura:

 

1.1.    Pesquisa Documental

 

A característica da pesquisa documental é que a fonte de coleta de dados está restrita a documentos, escritos ou não, constituindo o que se denomina de fontes primárias. Estas podem ser feitas no momento em que o fato ou fenômeno pesquisado ocorre, ou depois.

 

1.1.1.        Fontes de Documentos

 

A)                                                     Arquivos Públicos

 

a)                                                                 Documentos oficiais

b)                                                                 Publicações parlamentares

c)                                                                  Documentos jurídicos

d)                                                                 Iconografia (registros visuais)

 

A)                                                     Arquivos Particulares

 

a)                                                                 Domicílios particulares (correspondências, memórias, diários, autobiografias)

b)                                                                 Instituições de ordem privada (registros, correspondências, memoriais)

c)                                                                  Instituições públicas

 

A)                                                     Fontes Estatísticas

 

A coleta e elaboração de dados estatísticos, inclusive censitários, o qual está a cargo de vários orgãos particulares e oficiais (IBGE, IBOP, etc) os quais coletam os mais diversos dados, dentre os quais se destacam:

 

a)                                                                 Características da população

b)                                                                 Fatores que influem no tamanho da população

c)                                                                  Distribuição da população

d)                                                                 Fatores econômicos

e)                                                                 Moradia

f)                                                                   Meios de comunicação

 

1.1.1.        Tipos de Documentos

 

Pela estrutura apresentada, os tipos de documentos utilizados na coleta de dados são subdivididos em  Escritos e Outros, conforme abaixo:

 

A)                                                     Escritos

 

a)                                                                 Documentos Oficiais

b)                                                                 Publicações Parlamentares

c)                                                                  Documentos Juridicos

d)                                                                 Fontes Estatísticas

e)                                                                 Publicações Administrativas

f)                                                                   Documentos Particulares

 

A)                                                     Outros

 

a)                                                                 Iconografia

Abrange a documentação por imagens, compreendendo gravuras, estampas, desenhos, pinturas, excluindo-se as fotografias.

 

b)                                                                 Fotografias

c)                                                                  Objetos

d)                                                                 Canções Folclóricas

e)                                                                 Vestuário

f)                                                                   Folclore

 

1.1.    Pesquisa Bibliográfica

 

A pesquisa bibliográfica, ou de fontes secundárias, abrange toda a bibliografia já tornada pública em relação ao tema de estudo, desde publicações avulsas, boletins, jornais, revistas, pesquisas, livros, monografias, teses, material cartográfico, etc., até meios de comunicação orais: rádio, gravações em fita magnética e audiovisuais: filmes e televisão. Sua finalidade é colocar o pesquisador em contato com tudo o que já foi escrito, dito ou filmado sobre determinado assunto.

 

Segundo Manzo (1971) a bibliografia pertinente “oferece meios para definir, resolver, não somente problemas já conhecidos como também explorar novas áreas onde os problemas não se cristalizaram suficientemente” e tem por objetivo permitir ao cientista “o reforço paralelo na análise de suas pesquisas ou manipulação de informações” (Trujillo, 1974).

 

Assim, a pesquisa bibliográfica não é mera repetição do que já foi dito ou escrito sobre certo tema, mas propicia o exame de um assunto sob novo enfoque, chegando a conclusões inovadoras.

 

1.1.1.        Tipos de Fontes Bibliográficas

 

A)                                                     Imprensa escrita

 

B)                                                     Meios audiovisuais

 

C)                                                     Material cartográfico

 

D)                                                     Publicações

 

1.      Documentação Direta

 

A documentação direta constitui-se, em geral, no levantamento de dados no próprio local onde os fenômenos ocorrem. Para Lakatos e Marconi (1991), esses dados podem obtidos de duas maneiras: por meio de pesquisa de campo ou da pesquisa de laboratório.

 

1.1.    Pesquisa de Campo

 

É aquela utilizada com o objetivo de conseguir informações acerca de um problema, para o qual se procura uma resposta, ou de uma hipótese que se queira comprovar, ou ainda, descobrir novos fenômenos ou as relações entre eles.

 

Para Trujillo (1982) a pesquisa de campo propriamente dita não deve ser confundida com a simples coleta de dados (este último corresponde à segunda fase de qualquer pesquisa); é algo mais que isso, pois exige contar com controles adequados e com objetivos preestabilecidos que descriminam suficientemente o que deve ser coletado.

 

1.1.1.        Tipos de Pesquisa de Campo

 

Para Tripodi (1975), as pesquisas de campo dividem-se em três grandes grupos:

 

A)                                                     Quantitativo-Descritivos

Consistem em investigações de pesquisa empírica cuja principal finalidade é o delineamento ou análise das características de fatos ou fenômenos, a avaliação de programas, ou o isolamento de variáveis principais.

 

a)                                                                 estudos de verificação de hipótese

Contam com hipóteses específicas do que se pretente averiguar

 

b)                                                                 estudos de avaliação de programa

Dizem respeito à procura  dos efeitos e resultados de todo um programa ou método específico de atividades de serviços ou auxílio.

 

c)                                                                  estudos de descrição de população

Sua função primordial é a exata descrição de certas características quantitativas de populações como um todo, organizações ou outras coletividades específicas.

 

d)                                                                 estudos de relações de variáveis

Referem-se à descoberta de variáveis pertinentes a determinada questão ou situação, da mesma forma que à descoberta de relações relevantes entre variáveis.

 

A)                                                     Exploratórios

São investigações de pesquisa empírica cujo objetivo é a formulação de questões ou de um problema com tripla finalidade: desenvolver hipóteses, aumentar a familiaridade do pesquisador com um ambiente, ou modificar e clarificar conceitos.

 

Empregam-se procedimentos sistemáticos visando a coleta de tais dados. Tais procedimentos dividem-se em:

 

a)                                                                 estudos exploratórios descritivos combinados

Tem por objetivo descrever completamente determinado fenômeno como, por exemplo, o estudo de um caso para o qual são realizadas análises empíricas e teoricas.

 

b)                                                                 estudos usando procedimentos específicos para a coleta de dados

Utilizam exclusivamente um procedimento para extrair generalizações com o propósito de produzir categorias conceituais que possam vir a ser operacionalizadas em estudo subsequente.

 

c)                                                                  estudos de manipulação experimental

São estudos que têm por finalidade manipular uma variável independente, a fim de localizar variáveis dependentes que potencialmente estejam associadas a elas.

 

A)                                                     Experimentais

Consistem em investigações de pesquisa empírica cujo objetivo principal é o teste de hipóteses que dizem respeito a relações de tipo causa-efeito.

 

1.1.    Pesquisa de Laboratório

 

Para Lakatos e Marconi (1991) a pesquisa de laboratório é um procedimento de investigação mais difícil, porém, mais exato. Ela descreve e analisa o que será ou ocorrerá em situações controladas, exigindo para tanto instrumental específico, preciso e ambientes adequados.

Na pesquisa de laboratório, as experiências são efetuadas em recintos fechados ou ao ar livre; em ambientes artificiais ou reais, de acordo com o campo da ciência que está realizando-as.

 

Quatro aspectos devem ser levados em consideração: objeto, objetivo, instrumental e técnicas.

 

Os objetos de estudo tanto podem ser pessoas, animais, minerais ou vegetais.

 

Para Best (1972), muitos aspectos importantes da conduta humana não podem ser observados em condições realizadas em laboratório.